O que há de errado no Ensino Superior?

“Ensino Superior: jovens desconfiam e empresas não acreditam” – Jornal Público

Este não é mais um texto sobre a Reforma do Ensino Superior ou as propostas do Governo. Embora haja vários problemas estruturais no ensino em Portugal, quero aqui apontar apelas um problema que é o que mais afecta quem está a entrar no mercado de trabalho.

E o problema é: na Universidade ensinam-nos tudo, menos como conseguir o emprego. (Ou criá-lo).

Politiquices à parte, o artigo refere o afastamento entre as universidades e o mercado de trabalho. O problema reside aqui, mas torna-se maior quando vocês concordam porque acham que a vossa faculdade devia ter mais estágios e saídas profissionais garantidas. Já dizia o outro, “não há almoços grátis.” Habituem-se.

Na prática, este distanciamento revela-se em 4 sentidos.

1. Não prepara os alunos para o processo de procura de emprego. Saímos da Faculdade com o conhecimento necessário para trabalhar, mas não sabemos onde o aplicar. Por onde começar, onde e como procurar emprego, e PIOR… como fazer um CV! Tarefa complicada quando pouco ou nada se tem para preencher aquele campo importante chamado “experiência profissional”.

Admitam, a maioria de vocês saca o modelo europeu, adiciona hobbies tipo “membro do clube de tricot”, lista todos os graus de formação até ao ensino básico e envia emails massificados em resposta a anúncios do net-empregos.

Eu sei porque já recebi centenas desses CVs e em 3 segundos foram parar a um cantinho especial do meu MacBooks chamado “trash”.

2. O ensino é muito mais teórico que prático. Embora as bases teóricas sejam importantes, não são suficientes. Informação não é conhecimento, já dizia o Einstein. O conhecimento advém da experiência.

No entanto, alguns professores estão há muito afastados do mundo real, ou nunca tiveram outra carreira além da académica. E tem de haver um equilíbrio. No meu curso tive a sorte de ter vários profs com carreiras empresariais. Qualquer um pode ensinar com base num text book. Tive uma prof de comportamento do consumidor que dava aulas a ler acetatos fotocopiados de um livro!! (para o caso de estarem na dúvida, SIM, já tinham sido inventados os projectores).

Fui a 4 aulas e nunca lá mais meti os pés. Os profs com experiência profissional ensinaram-me coisas que até hoje nunca me esqueci. Não me lembro de nada de Teoria da Comunicação. Mas lembro-me de detalhes de todos os case studies da Harvard Business School que resolvi em Marketing Estratégico.

3. A universidade só nos prepara para trabalhar em grandes empresas mas muitos de nós acabamos por trabalhar em PME’s. As Pequenas e Médias Empresas constituem 99.6% do tecido empresarial português e geram 75% do emprego. Quem já trabalhou nos dois lados, sabe que não tem NADA a ver. O mesmo cargo numa grande empresa e numa start-up pressupõe responsabilidades e funções completamente diferentes.

Aquilo que é ensinado num curso de marketing, por exemplo, tem quase sempre por base as melhores práticas da indústria do grande consumo (as empresas por trás das marcas que vemos no supermercado), porque são as grandes escolas do marketing tradicional. Dos meus colegas de curso, julgo que apenas 2 tenham ido para o Grande Consumo.

4. Os planos curriculares e manuais estão muitas vezes desactualizados. Sim, é necessário aprender as bases. Mas hoje em dia o mercado é tão dinâmico que quando um livro é impresso, chega às lojas desactualizado. Entretanto já estão a ser desenvolvidas novas metodologias, ferramentas, apps ou formas de trabalhar.

No meu penúltimo semestre, em 2007/08 tive uma cadeira de Marketing Digital cuja prof não sabia o que era o MySpace e em que tudo o que aprendemos foi “o que é a internet” (LOL) e a fazer uma campanha de Google Adwords.

Não estou a desvalorizar o conhecimento académico, embora o tom deste texto possa parecer negativo. A boa notícia é que este cenário é igual para todos, o que é uma oportunidade para aqueles que acordam para a vida e se destacam da “concorrência”.

Como? Sendo pro-activos.

No próximo artigo vou dar algumas dicas práticas de como fazê-lo.

2 comments

Deixa um comentário

Subscrever

Recebe posts novos directamente no teu email.