“Ya, ya… Mas quem é ela para falar?”

É uma pergunta legítima.

Bom, para começar, eu tenho a vossa idade. Mais coisa, menos coisa!

O problema da maioria dos livros e artigos sobre este tema é que são escritos por especialistas com idade para serem nossos pais. Estes gurus dos Recursos Humanos entraram no mercado de trabalho quando nós ainda nem sequer tínhamos nascido e não fazem puto o que é ser recém-licenciado à procura do primeiro emprego no século XXI.

Já eu, não me julgo grande entendida em coisa nenhuma mas aos 23 anos era directora de marketing e aos 25 estava a reportar ao CEO de uma multinacional líder de mercado. Resumido assim soa a uma carreira de sucesso, certo? E se vos disser que numa carreira de 6 anos, já estive 4 vezes à procura de emprego? Ouch!

Na realidade, a noção de carreira de sucesso já não é o que era porque não existem empregos para a vida e também ninguém quer ficar estagnado na mesma empresa anos a fio a fazer o mesmo para subir 1 ou 2 degraus e levar mais 300 euros para casa ao fim do mês. Hoje em dia somos mais versáteis (o mercado a isso nos obriga) e uma carreira de sucesso pode ser constituída por vários projectos interessantes, seja na mesma empresa ou não.

Mas isto é tema para outro artigo… Partilhei aqueles números para vos dizer que percebo perfeitamente a ansiedade que é procurar um trabalho novo, enviar CVs que se parecem perder para sempre num universo paralelo, as expectativas frustradas, a pressão constante e o estigma da palavra “desempregado”.

Ainda melhor que perceber o lado do desemprego, é perceber a experiência do empregador. Até hoje contratei 15 pessoas para equipas que geri, recomendei 5 pessoas a outros empregadores, entrevistei dezenas de candidatos e recebi centenas de CVs. Fi-lo quer em PMEs (uma delas minha) onde tratei de tudo o que envolve uma contratação, quer em empresas com grandes departamentos de RH a apoiar processos de recrutamento complexos.

Provavelmente já fui a quase tantas entrevistas quanto os especialistas com 30 anos de carreira, e em todas consegui uma oferta de trabalho. Foram mais as que recusei do que as que disse sim. Fui entrevistada por pessoas que não eram minimamente qualificadas para o fazer, por recrutadores juniores, VPs de RH, head hunters internacionais, empresários de PME’s, CEOs de multinacionais e até um milionário.

Trabalhei no Dubai como professional CV Writer, com clientes em diversas indústrias como Marketing, Legal Services, Oil&Gas, IT ou Saúde. Fiz consultoria em marketing pessoal e agora estou a trabalhar como business strategy consultant para um grupo líder no Médio Oriente.

Nada disto não me torna especialista em RH ou gestão de carreira, apenas me trouxe experiência e conhecimento de causa que decidi partilhar convosco.

Vale o que vale.

Rute Silva Brito

5 comments

Deixa um comentário

Subscrever

Recebe posts novos directamente no teu email.